Volume
Rádio Offline
Redes
Sociais
Polícia prende no Rio dois suspeitos de matar Marielle Franco
12/03/2019 15:23 em Novidades

Roni Lessa, policial militar reformado, é suspeito de ter atirado no carro onde estavam a vereadora e o motorista Anderson.

Rio de Janeiro — Uma operação conjunta do Ministério Público, por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), e da Polícia Civil do Rio de Janeiro, prendeu na madrugada desta terça-feira (12) dois suspeitos de matar a vereadora Marielle Franco e o motorista Anderson Gomes no dia 14 de março de 2018.

Ronie Lessa, policial militar reformado, e Elcio Vieira de Queiroz, expulso da Polícia Militar, foram denunciados por homicídio qualificado e por tentativa de homicídio de Fernanda Chaves — que também estava no veículo atacado.

Segundo o Ministério Público, as prisões ocorreram por volta das 4h durante a Operação Lume, realizada na residência dos suspeitos. Os dois foram denunciados depois de análises de diversas provas.

Lessa teria sido o autor dos disparos de arma de fogo e Elcio, o condutor do veículo Cobalt utilizado na execução. O MP informou que o crime foi planejado de forma meticulosa durante os três meses que antecederam os assassinatos.

Além dos mandados de prisão, a Operação Lume cumpre mandados de busca e apreensão em endereços dos dois acusados para apreender documentos, celulares, computadores, armas, munições e outros objetos. Lessa foi preso em casa, na Barra da Tijuca, no mesmo condomínio onde o presidente Jair Bolsonaro tem casa.

No total, são 34 endereços ligados a seis pessoas suspeitas de estarem ligadas aos assassinatos. Outra informação da investigação é que, desde outubro de 2017, Lessa fazia pesquisas na internet sobre a vida de Marielle e Marcelo Freixo, assim como sobre o modelo da arma que a polícia suspeita que tenha sido usada no momento do crime.

Para agilizar as investigações, que já duram quase doze meses, foi definido que o inquérito seria desmembrado em duas partes. A primeira, iniciada hoje, para identificar os atiradores. A segunda, ainda em andamento, para chegar aos mandantes. Segundo o MP, há a certeza de que havia três pessoas dentro do carro.

Na denúncia apresentada à Justiça, o Gaeco/MP-RJ também pediu a suspensão da remuneração e do porte de arma de fogo de Lessa, a indenização por danos morais aos parentes das vítimas e a fixação de pensão em favor do filho menor de Anderson até completar 24 anos de idade.

Fonte: G1

 

 



COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!